Inteligência Emocional e Gestão de Emoções: quase tudo o que precisas saber

Em contexto terapêutico, como no dia-a-dia, a emoção surge de forma intensa, precedendo os sentimentos e variando mediante as sensações e as perceções. Pode ser observável, pelos outros, através do não-verbal, e torna-se uma fonte de informação inesgotável e indeterminada.


No último artigo, sobre as Emoções (e como te ensinam sobre a vida), revimos a importância das emoções, pelas suas funções, como motores de mais vida, e fundamentais para a vivência plena, saudável e satisfatória das experiências que temos.


A inteligência emocional é a capacidade de gerir a esfera emocional, na relação connosco próprios, com os outros e o mundo – priorizando a autoconsciência, num primeiro momento e, em outro, uma maior consciência social, pelo aumento da responsabilidade, empatia e compaixão. A razão é, várias vezes, provocada e desafiada pela emoção, determinando atitudes e comportamentos, e a liberdade pode ser condicionada por certas tomadas de decisão.