top of page
  • Foto do escritorRUMO

Amor é Amor

Pessoas LGBTQIA+ precisam de se sentir aceites e acolhidas, sendo fundamental que tenham uma rede de apoio, com consciência que a orientação sexual e a identidade de gênero são características naturais e inatas das pessoas, e não há absolutamente nada de errado com a forma como expressam seu amor ou com o gênero que se identificam.


 

O dia do Orgulho LGBTQIA+ é comemorado em 28 de junho em homenagem à Revolução de Stonewall que aconteceu em 1969 em Nova York, marco importante que definiu as marchas pelos direitos e visibilidade da população LGBTQIA+. A Revolução Stonewall foi liderada por mulheres trans negras e latinas, travestis, drag queens, pessoas queer, lésbicas, gays, bissexuais e pessoas em não conformidade com seus papéis de gênero.


Letras que dizem Love is Love num arco-iris.
Amor é Amor

Hoje em dia, apesar dos direitos já conquistados, ainda é a população que mais sofre invisibilidade, preconceito, violência, negação da existência e direitos básicos e pessoas da comunidade são as que mais sofrem transtornos de ordem psicológica, principalmente a depressão, que pode levar ao suicídio.


Infelizmente, muitas vezes, o preconceito e a não aceitação vem de círculos mais próximos que deveriam acolher, como a família e a escola, por exemplo, e isso pode causar sérios danos na saúde psicológica e emocional dessa população. Grande parte desse preconceito existe por conta da falta de informação, questões religiosas e culturais.


Pessoas LGBTQIA+ precisam de se sentir aceites e acolhidas, sendo fundamental que tenham uma rede de apoio, com consciência que a orientação sexual e a identidade de gênero são características naturais e inatas das pessoas, e não há absolutamente nada de errado com a forma como expressam seu amor ou com o gênero que se identificam.

É importante o acolhimento familiar e social, mas em caso de ausência, é importante procurar apoio e acolhimento na própria comunidade, através da redes de amigos, de ONGs de apoio a causa LGBTQIA+ e também pelo apoio psicológico, para que possam tratar possíveis perturbações desta natureza, aprender a lidar com a dor emocional e, principalmente, aprender a se aceitar e a se amar.


Neste mês do orgulho, vamos celebrar o amor, de todas as formas lindas e coloridas que ele se manifesta - afinal, o mundo é mais bonito justamente porque existe diversidade.






Gestalt Terapeuta & Mestranda em Sexologia

Comentarios


bottom of page